Professores que decidiram mudar de vida

mudar-de-vida

Colocando todos os pesos na balança, cada vez mais professores decidem abraçar a carreira de Consultor imobiliário

“Procuramos profissionais com formação na Área de Educação/ Formação para trabalhar no sector Imobiliário”; “Professores – Mudança de Carreira”; “Professores para Funções Comerciais”; “Recrutamos profissionais da área do ensino que, não estando a exercer de momento na sua área, possam pelas suas competências e linguagem, capacidade de adaptação e resiliência, querer um novo desafio profissional na área em maior crescimento em Portugal – Imobiliária“.

Os anúncios de agências imobiliárias para recrutar professores são às dezenas nos principais sites de emprego. E isto pesquisando só no mês de junho. Com a subida em flecha deste mercado, as empresas da área vêem na Educação um campo de recrutamento mesmo à mão de profissionais altamente qualificados e sem espaço nas escolas.

Com a crise económica, muitos professores sem colocação decidiram arriscar a sorte no ramo da venda de casa. E agora, a procura de formados na área da Educação está a acompanhar o crescimento galopante do mercado imobiliário, como as próprias empresas admitem. “Foi uma tendência que cresceu com a crise económica e que aumenta nestas alturas de maior procura e também de maior conflito no setor da educação, em que há muita falta de esperança dos professores”, explica a CEO da Remax Portugal. E o que ganham as agências com isso? “Para nós, como não são miúdos, são pessoas já na casa dos 35, 40, 45 anos, temos a garantia que levam isto muito a sério”, justifica Beatriz Rubio.

Além disso, são profissões com flexibilidade de horários, porque ainda há quem acumule com as suas profissões de origem.

1,8 milhões angariados num ano

O caso de Andreia Falcão, 50 anos, não será o mais habitual entre os professores que mudam de carreira, mas é certamente o mais bem-sucedido de todos. Professora de Matemática no seu próprio colégio chegou a um ponto em que o cansaço levou a melhor. “Tenho três filhos, tinha os meus horários e ainda tinha de gerir os horários de muitas pessoas em empresas de contabilidade de que era dona, e há oito anos resolvi entrar na Remax.”

Nos primeiros tempos, como sempre acontece nesta área, investiu na carreira ainda sem ver retorno, que no entanto não demorou a chegar: Andreia e o marido, Miguel Valadas, da agência do Parque das Nações, foram os melhores vendedores do mundo Remax – à exceção de EUA e Canadá, que são analisados à parte – em 2015 e 2016, num ano com 1,6 milhões angariados, e no outro 1,8 milhões. “Mas fiquei sempre acima do milhão de euros anuais desde que comecei. Mesmo no ano passado, em que eu e o meu marido tirámos uns meses para descansar, ficámos em terceiro a nível nacional.”

aprendiz vitorioso

Depois ter fugido à pressão de ter de gerir horários de empregados, Andreia acabou oito anos depois a fazer precisamente o mesmo. Acabou por criar uma equipa com 15 pessoas, algumas a trabalhar a nível comercial, e que até inclui uma assessora, que lhe atende telefonemas.

Mas do alto da sua experiência, e apesar do seu sucesso – ou por causa dele -, deixa um aviso aos professores que pensem seguir o seu exemplo. “Aconselho isto apenas para professores que tenham espírito e estejam habituados a ser empreendedores, porque é mais difícil para quem está habituado só a dar aulas e receber o seu ordenado ao fim do mês, porque os primeiros tempos são de investimento.”
Fecho de escolas teve impacto

O que a prática demonstra é que, regra geral, quem é bem-sucedido no ramo imobiliário, já não volta para a profissão de origem. Essa é, pelo menos, a garantia de Beatriz Rubio, que aponta para os 50 mil euros/ano o rendimento médio de um agente da Remax. “Mesmo depois da crise, essas pessoas continuaram nesta área, porque ganharam carteiras de clientes e ganham bom dinheiro.” Segundo a CEO da Remax, nos últimos ano notou-se um crescimento de professores do norte e Alentejo a juntarem-se à empresa, o que estará relacionado com o fecho de escolas.

Dicas:
Início de carreira
Antes de ter uma carreira bem-sucedida neste ramo existe um investimento em tempo e dinheiro que não tem retorno imediato. Pode levar algum tempo até receber o primeiro pagamento, até porque no primeiro ano a maior preocupação é construir uma carteira de clientes

Rendimentos
Esse pode ser um dos pontos positivos, ou negativos, se tiver insucesso. Não há um rendimento fixo e ele pode aumentar em função do número de vendas de casas concluídas e das respetivas comissões. Contas de sites especializados, tendo em conta as comissões numa das maiores agências em Portugal, apontam para uma média mensal de dois mil euros mês se vender 13 casas por ano. Há ainda quem use esta área como part-time para aumentar o salário no final do mês.

Artigo escrito por Pedro Marques presente em DN.pt e adaptado.

Pensa que esta poderá ser uma possibilidade para si? Estamos a recrutar pessoas, clique aqui ou contacte-nos através do 253 421 390. Às vezes, é possível mudar de vida… num momento!

Emprego no Imobiliário Dispara

analytics-2697949_1920

Em Dezembro do ano passado, trabalhavam 40 mil pessoas como mediação imobiliária, e já tinha aumentado 43% que em 2015.

O aumento de procura de imóveis gerou um equiparável aumento do número de pessoas que trabalha nesta área como consultores. Segundo os dados da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP), existem 5248 licenças ativas de mediação, entre o continente e as ilhas.

Como utilizar o humor para comunicar com sucesso

humor_-_los_tiempos_web-03

Quem nunca se intimidou ao falar em público? Na verdade são muito poucas as pessoas que não têm medo de falar para uma plateia, e mesmo muitas delas tiveram que lidar com o seu medo, aprendendo técnicas que lhe permitam comunicar melhor com o público.

Ao falarmos para uma plateia estamos a iniciar um processo de comunicação que terá uma determinada duração, que normalmente não deverá ultrapassa os 20 minutos, e por isso interessa-nos criar uma ligação com o nosso público o mais rapidamente possível.

7 sinais de que precisa de mudar de emprego

mudanca-carreira

O estudo já é de 2013 mas os números são reveladores: de acordo com as conclusões das Gallup, apenas 13 em cada 100 pessoas gostam daquilo que fazem todos os dias. Se sente que setembro é a altura ideal para recomeçar alguma coisa na sua vida, este pode também ser o período certo do ano para rever os seus objetivos e procurar alternativas.